Newsletter WCM'16
Boletim Informativo do World Coop Management 2016

FIQUE ATENTO!
Na próxima News:

Patrocínio Oficial

Patrocínio Silver

Patrocínio Silver

Seguradora Oficial


Patrocínio Silver

Patrocínio Silver

Apoio

Apoio

Companhia Aéria Oficial

Apoio

Evento parceiro

Organização

Ano II - Número 17 - Outubro de 2016

World Coop Management:
Conhecimento como diferencial competitivo

Levar a presidentes, dirigentes, superintendentes, gerentes e gestores de cooperativas e de entidades do setor o contato com tendências e desafios que afetam seus negócios e suas cooperativas, inspirando esses executivos em casos de sucesso global, apresentados por especialistas de renome internacional, foi a meta da segunda edição do World Coop Management, realizado em Belo Horizonte (MG) – no Espaço de Eventos da Unimed BH – nos dias 26 e 27 de setembro.

 


Promovido pela Wex Business – com o apoio do Sistema OCB e do Sistema Ocemg; Unimed Brasil, Central Nacional Unimed e Unimed BH; Sebrae, Mapfre e Seguros Unimed, além de parceria de mídia exclusiva com a MundoCoop – mais uma vez o WCM confirmou sua importância para o cooperativismo brasileiro, reunindo 300 pessoas em um cenário desafiador, marcado por questões políticas e econômicas.

“Para superar as dificuldades, nada melhjor do que o conhecimento. E o nosso congresso pode ajudar a criar tendências e abrir espaço para modelos de negócios inovadores, pois o WCM possibilita o acesso ao conbhecimento de alta gestão e a estratégias de destaque no cenário internacional, tendo na troca de experiências um dos seus destaques”, frisou Luiz Branco, presidente do WCM e diretor da Wex, na abertura do congresso.

 



Falando em nome do sistema cooperativo brasileiro, Márcio Lopes de Freitas, presidente da OCB – Organização das Cooperativas Brasileiras– destacou que “os problemas na política nacional demonstra uma incompatibilidade todal de o governo nos dar respostas, a ponto de, ao olhar para as instituições, perdermos a esperança no futuro” e estimulou os presentes a aproveitarem o evento “para repensar tudo isso, evitando que a desespeança nos impregne, e reforçar o que as cooperativas têm como grande diferencial: são especialistas em cultivar e armazenar confiança entre as pessoas e esperança, que permite mudar as coisas e sermos mais felizes”.

Ronaldo Scucato, presdeinte do Sistema Ocemg, ao recepecionar os congressistas reportou-se às eleições de 2016 e à importância de fortalecer os municípios, como o espaço em que as cooperatvas se formam. Lembrou, também, o fato de as demandas das cooperativas serem crescentes, exigindo capacitação permenente, não apenas para gestor, mas para formação de sermos dirigentes, “que é o que falta no cooperativismo”, frisou, afirmando: “o cooperativismo tem de ser reinventado para ser eficiente e atender as demandas crescentes”.

Encerramento – O jornalista Alexandre Garcia foi o escolhido para o encerramento do congresso e discorreu sobre a situação política atual do Brasil. “O país está mudando e precisa mudar rápido, porque está destoando do mundo, a ponto de países como Paraguai e Uruguai estarem passando à nossa frente na economia, e Argentina, na educação”, garantiu, discorrendo sobre a história recente e apontado alguns comportamentos automatizados que precisam ser alterados para que a estabilidade e o desenvolvimento se implantem de forma permanente.

 

 

“Temos uma ciclotimia, alternamos momentos de euforia a situações de dificuldade. Estamos à beira do abismo, mas estamos mais exigentes. Essa é uma mudança. Há o desprezo pelo fora da lei, mas a corrente não pode ser passiva. Precisamos agir mais para ter uma vida pacífica. É imperioso ter conhecimento e sentir o prazer do saber. O conhecimento é a base do mundo atual”, comentou, fazendo eco a reivindicações pelas reformas tributária e previdenciária.

Garcia falou, ainda, sobre a necessidade de todos “se sentirem dentro do País e não se preocupando apenas com o próprio mundo” e sobre a importância de criação de um ambiente atrativo para investidores, fundamentado na confiança “que empurra o investimento e depende de uma justiça que funcione, de agências que não mudem as regras, que traga segurança física”.

 

Debate: Ao final de cada um dos dias, um painel de debates reuniu lideranças do setor de os expositores do dia, para troca de ideias e respostas a questionamentos levantados pela plateia.

 

Caso não visualize este e-mail adequadamente acesse este link